segunda-feira, março 24, 2008

Poema depressivo


Encontro-me mais uma vez à beira do abismo sem saber o que fazer, o que dizer ou como agir. O meu castelo de sonhos, esperanças e risos de criança desmoronou por completo. Só sobraram ruínas, escombros e pedaços lamacentos e encobertos pela névoa. Não há mais por onde lutar. Querer ser alguém é algo que se tornou inteiramente impossível. A loucura da depressão ganha terreno e nem os pequenos momentos de felicidade atenuam-na. Estou perdida por entre nevoeiro e neblina escura, cantando o fim e a solidão. Os jardins de meu pensamento secaram ao toque da realidade. Os sepulcros que outrora se encontravam distantes, hoje aproximam-se chamando-me para perto das almas danadas que em tempos choraram o mesmo sangue que eu. Não há mais lugar para mim. Não há mais forças nem mais esperanças. Quero viver cantarolando e rindo ao longo de prados e planícies, ser a criança pura e ingénua, aberta a todas as sensações e a todos os sonhos de outrora. Mas é incompreensível que depois de tantos anos me sinta acabada. Morta e exausta de tanta luta por nada. De tanto sofrimento por vazio...

Baixo as mãos e ergo os olhos até ao céu. Escuro e triste, silencioso e ausente, vejo o futuro ali estampado. É o que me resta. O vazio e a ausência. A tristeza e a demência. Para sempre ser errante... perturbando a paz desta voz que caminha e caminha, perseguindo o mesmo destino: a morte do sentido e a fuga deste corpo...

†Profetiza†Morta†

10 comentários:

jhou disse...

amei o poema...=D
me add no msn?
jhoumafia@hotmail.com

tati disse...

me sinto assim...
mas acho q não sei de nada...

Anônimo disse...

me sinto assim...
:{...

Dino disse...

é assim msm ki eu me sintoow :{

ZARABAH disse...

Palavras...
apenas e só palavras...para quem as lê...
mas que passam a ser sentimentos para quem nelas se revê...

Rafa disse...

estou me sentido assim um pouco mais de escuridão na verdade sou uma critica de um sol obscuro que nem o povo diz nem sei porque estou vivo ainda já que sou um peso para muitos...

Jéssica disse...

Tu escreve muito bem,acertou em todas as escolhas das palavras.Mais que um poema,um sentimento repassado totalmente perceptivel para quem o lê.Perfeito.

Anônimo disse...

Me sinto exatamente assim, já não sei mais oque fazer...

Adriana disse...

olá....
há um ano me sinto exatamente assim e é dicompartilhar os meus sentimentos de tristeza e dor e pensamentos negativos com pessoas ao meu redor que não entendeou acham que me faço de coitada como já ouvi e li algumas vzs vindo de pessoas mais proximas possíveis vivo um dia bem outro não dias de euforia outros de tristeza profunda a ponde me isolar de td e de todos penso emmorrer só para não sentir mais tanta angústia, dor,tristeza...

Anônimo disse...

Quando meu filho nasceu, eram só felicidades... depois veio as doenças dele, e hoje não tenho mais forças para lutar, apenas para chorar!
Adorei teu poema!
Se tiveres mais, e quiserem compartilhar aceito! itamarsma@bol.com.br