sábado, fevereiro 28, 2009

Procurando você


Olho o céu vejo e um belo luar
e amanhã quando você acordar
verás que ressurge a esperança
leve esse poema, minha lembrança

Leve esse poema como toda a força do meu ser
Juntamente com alguma semente que brota
Aparecendo uma flor que entrego a você
Só assim deixarei a vida torta

Brinco com a amizade, pois tenho amor
Busco o amigo que não encontro
Tudo isso dá saudade, causa dor
Se amanhã eu for não causarei espanto

Você é a estrela que se busca no coração
A luz que se procura na escuridão
O amado homem que se precisa na imensidão
Repleto de amor, carinho, loucura ou paixão

Oh! Amigo onde estas
Não te encontro em nenhum horizonte
Não te acho em nenhuma praça
Em nenhuma rua, em nenhuma estrada

O caminho se torna difícil
A caminhada é árdua
Você não aparece você não se apresenta
E basta prosseguir nessa caminhada

O coração não mais resiste
A mente não raciocina
A dificuldade é imensa
A esperança permanente

Nesse caminho sem fim nessa estrada enfim
Eu quero, quero e quero
Encontrar você,
meu grande amigo,
meu verdadeiro amor!

2 comentários:

O Profeta disse...

És madeira verde
Ou apenas mulher perdida
Testemunha de berço feito de penas
Arca perdida da dor contida

Tudo isto é universo
Em límpida poça de água
Onde as conchas têm a forma de coração
Onde o sal afasta a mágoa

A ti que és minha amiga especial
convido-te a partilhar comigo o “sítio das conchas azuis”




Beijo azul

Sayuri disse...

É assim que se sentem os corações apaixonados! Mais que amantes, amigos, mais que amigos, amantes... Mais que dois, um só... ♥